sexta-feira, 27 de maio de 2011

DESEJO


O frio doce encanta minha alma
Um desassossego investe contra mim
Forçando-me a bradar aos quatro ventos
Que o meu corpo em tormento
Sente falta do que me acalenta
Um rosto, uma voz, um sussurro
Mesmo que inseguro
Que faça parte da noite vazia
Possuindo-me sem pudor
Meu corpo cansado de tanto amor
Descansa no leito ainda quente
Despudorado e ainda dormente
Fazendo de mim uma pobre criatura
Que desperta sem veste
Despojada e nua
Minha alma então recua
Cai na mesma obsessão
De seguir na vida
Na mais profunda solidão...

Rosivar Marra Leite
Itaocara, RJ, Brazil
Sou alguém que não acredita em erros e acertos, mas que entende que as coisas não deram errado, apenas não aconteceram do jeito esperado e, que o importante é aprender sempre. Sou também frágil, apesar de parecer sempre forte aos olhos daqueles que não têm tempo para me conhecerem de fato. Ainda acredito que em cada pessoa que vive neste planeta exista mais bem que mal. Sou otimista por natureza. Digo sempre que minha maior qualidade é também o meu grande defeito: a SINCERIDADE. O resto de mim fica àqueles que tenham vontade de olhar um pouco abaixo da superfície. Sou professora desde os meus 17 anos e escritora desde sempre. Muitos me perguntam como uma professora da área de exatas virou escritora, sempre respondo: "Já era escritora antes, apenas não sabia!".
Membro da Associação Internacional de Artistas e Escritores – IWA

9 comentários:

Nina Pilar disse...

Gostei...
forte e ao mesmo tempo suave.

beijo

Jasanf disse...

Rose, linda performance para uma estreia magnífica e maravilhosa, uma vez que o eu lírico clama por amor e desejos intrínsecos que vem do âmago, da alma, do coração e, que vai brotando em suaves manifestações de poeticidade, de voz que clama no deserto e se enche de entusiasmo.

Ma Ferreira disse...

Rosivar..Primeiramento quero elogiar a imagem postada para "emoldurar" o seu poema!! Linda e sensual.Gostei muito de seu poema. Fala da solidão. Li atendamente a cada verso, e confesso, tocou meu coração.
Acho que cada um de nós em algum momento da vida se sentiu desta maneira.Uma palavra na sua poesia me chamou a atenção: Obsessão.
Muitas vezes achamos que para sermos felizes necessariamente temos que ter um amor romantico ao lado. E nesta "obsessão!", qualquer tipo de amor serve..até o amor ilusão.E colocamos nosso foco niso, deixando de aproveitar bons momentos da nossa vida.
E por ilusão acabamos por entregar o nosso bem mais precioso, que é o nosso coração, a primeira pessoa que aparece..dando-nos um pouco de afeto.
Muito bom se sentir bem estando simplesmente em nossa companhia. O amor..vai chegar..na hora que tiver que ser..sem esta obsseção da procura..
Não que seja o caso..
Só quis levantar a questão..pq não sou poeta, são sei comentar seu poema tecnicamente.
Comento pelo coração. E ele tocou meu coração. Pela dor da solidão..
Um beijo..sou sua companheira no Tessitura. Bem vinda. Estréia magnifica!!

Te convido a conhecer meu blog: mdfbf.blogspot.com
Será um prazer recebe-la.
Um granbde beijo..sucesso!!
Parabéns!

Ma Ferreira

Rosivar Marra Leite disse...

Agradeço os comentários!
Jander que bom que gostou dessa estreia feita às pressas nessa sexta-feira fria.
E, sim Ma, concordo que às vezes por conta dessa obsessão, entregamos o coração a quem não estava pronto para recebê-lo. Cabe então, perdoarmos a nós mesmos e seguir lepidamente deixando apenas acontecer...

Acácia Azevedo Studio Pottery disse...

Nosso acalento e também tormento. O maior problema são as expectativas, ao mesmo tempo são elas que nos mantém vivas. Parabéns pelo poema, bela estréia!

MARILENE disse...

Muito lindo! Valeu o convite! Suas palavras têm muita intensidade, sensibilidade... e emoção.

Parabéns!

Anônimo disse...

Oi, tudo Bem?
IMPOSSÍVEL COMENTAR! É lindo! Gostei, amei e só tenho que pedir a Deus, nosso Pai, que continue te abençoando! Vc é especial, e espero poder dizer que tenho uma grande amiga ESCRITORA! rsrs. Parabéns! Um grande bj.

Sônia Reis

Poesias Partidas disse...

Que lindo! Apaixonei-me então...

Abraços.

Só pra você disse...

Nossa, que poema tão cheio de desejo e solidão. Parabéns pelas palavras lindas...

Beijocas