sexta-feira, 18 de novembro de 2011

PERGUNTA

Hoje fui visitar uma senhorinha que perdeu o marido recentemente. Ela na cadeira de rodas se recuperando também de uma operação no fêmur, estava bastante triste, reclamando a falta do marido que partira. Minha tia a consolava dizendo que ela era uma mulher de sorte, por ter ficado casada por tanto tempo, e que somente ele, o tempo, poderia acalmar essa dor.
Enquanto conversávamos, o filho chegou, acariciou a mãe e nos contou que  em julho quando os pais completaram 71 anos de casados, ele ajudou o pai a se arrumar para a missa em comemoração ao casamento duradouro, assim que ficaram prontos ele e o pai, de 97 anos sentaram na sala para aguardar a mãe. Quando a senhora chegou, o marido assim disse:
-Nadir, sente-se aqui, perto de mim.
A senhora aproximou-se, sentou e segurou a mão do marido suavemente, foi quando então ele sorrindo perguntou para ela:
-Você ainda me ama?
Nesse instante, percebi o tamanho da perda daquela senhora. Depois de tanto tempo juntos, uma pergunta dessa.
O amor mudou muito nos dias de hoje, mas o que ouvi me inspirou a compartilhar a história. Cabe apenas uma indagação: quantos de nós poderemos fazer a mesma pergunta sem temer a resposta? 

5 comentários:

Imac by Artes disse...

Linda e terna história de amor.
Existem momentos que palavras nos faltam porque a emoção toma conta de nós.
Abraços! Um final de semana abençoado.

Rosivar Marra Leite disse...

Verdade!
Fiquei encantada com o acontecido. Amor assim é para poucos!
Bjim e ótimo fds pra vc tb!

Anônimo disse...

SIM É UMA HISTORIA MUITO LINDA. OBRIGADA.
Teresinka - IWA

Anônimo disse...

HOJE É DIA DE COBRANÇA MESMO NÃO É ? SUA DANADA EU POSSO SEMPRE FAZER ESTA PERGUNTA E MEREÇO A RESPOSTA SEMPRE QUE ELA CHEGA AO MEU OUVIDO!
Primo Ri

Anônimo disse...

Dibá, adorei essa estória, me emocionei. Sei quem são os personagens. Queria um amor assim na minha vida.!!!! Lindo!!!

Bjs