domingo, 27 de novembro de 2011

Primeira vez...


Eu sempre quis sabe como era amar, como eu iria me sentir, se eu me sentir bobo como falam, se eu ia me sentir feliz, se eu ia me sentir nas nuvens, e em todo esse tempo eu vi em busca dessa oportunidade de amar alguém de verdade.


Eu tentava, mais não conseguia, chegava a gostar de alguém, mais nada muito forte, nada além do que eu já havia sentido antes, e a minha infância era procurar alguém que eu pudesse amar, e ser feliz.

Mais ai veio o grande dia, dia em que do nada meu coração acelerou a mil, em apenas uma troca de olhar, as pernas tremulas sem saber o que falar, suava e daí então vi tudo começar a girar ao meu redor, mais ainda tava faltando algo, ela não sabia o que eu sentia por ela, mais preferir amar calado, sendo assim sofri calado.

Mais daí eu não agüentei mais, e resolvi contar tudo, abrir de vez o jogo e encarar tudo de frente, e peito aberto e cabeça erguida, mais o que eu não esperava era do que podia acontecer depois daqueles míseros segundos, onde tudo ocorreu como eu menos esperei, como eu nunca imaginei, não foi nada do que aprendi em toda a minha vida.

A boca seca, olhos cheios de lagrimas e vontade de fazer nada, a não ser chorar, chorar e chorar, trancado no quarto, largado sozinho, até que a ultima lagrima correu dos olhos seguindo seu rumo da face, passando pela boca deixando seu gosto até pingar nos lençóis.

Será que tudo passou, o que farei eu agora? Seguirei o mesmo destino que aquela lagrima, o destino dela era correr em minha face e seguir até o fim, seja morrer na boca ou cair nos lençóis e agora não vou fazer diferente, seguirei meu destino ainda sim inseguro.

Mais eu nunca mais fui o mesmo, saia nas ruas com medo, medo de sentir tudo outra vez, mais na verdade é bom sentir, é bom amar, ver o coração acelerar, o medo é de tudo ocorrer como não imaginamos, então a partir daí, nunca mais quis olhar diretamente olho no olho de ninguém.

E quando o medo passa, quando estamos bem acomodados, quando estamos de bem com nosso coração, quando somos amigos de nosso sentimento, firmes e confiantes nele, tudo começa de novo, e novamente sonhamos, imaginamos, acreditamos que vai acontecer de uma forma e dessa torcemos para que seja assim.

Autoria: JuniorPoltergeist.

3 comentários:

Jasanf disse...

Perfeito enquanto temática amorosa... Muita pieguice literária... rsrs
Gostei.
Abraço,
Jasanf.

Alê disse...

Jú,


Por mais que se escreva, a sensação, continuará sendo ímpar,



Bjkasssssssssssssss

Cidinha disse...

olá amigo Junior.Que bonito texto! Tudo tem o seu momento e não tem como fugirmos da realidade. Amar é um ato de coragem. O nosso dia sempre chega, seja no acerto ou na decepção temos que encarar, más sempre vale a pena. Obrigada pela visita que muito me alegra! Grande abraço.