sábado, 22 de outubro de 2011

Feridas...

Feridas...


Feri-me, uma perfuração funda, uma dor inexplicável.

Corte profundo que vai da cabeça aos pés, rasgado no meio, sangrando pelos cantos continuando a caminhada a chorar, tanta dor já não sei se posso suportar, sinto meu corpo frio a tremer, as lagrimas descem do olho até a boca, e não consigo fazer nada.

A dor que remédio nenhum cura, ferida que até hoje nem o tempo sarou, são marcas que nem o vento consegue levar, de tão pesadas que são, não se consigo mais viver assim, as vezes chego a pensar que isso não vai mais ter fim.

Ferida que ponto nenhum fecha, doença que nenhum medico cura, e eu vou continuar a viver sangrando, com essa dor insuportável no peito clamando por alguém que talvez não me escute, alguém que me iludiu, me ferio e não liga mais pra mim, clamando por amor, clamando por carinho.

Feridas causadas por sentimentos, a pior dor que existe, a pior ferida que se pode ter, dentro do peito escondida que só eu sinto, só eu sofro. Sinto meu corpo sangrar, sinto meu coração parar, ainda vejo as lagrimas escorrerem, grito de dor, grito seu nome, clamo por seu amor talves ele seja minha única cura, minha única salvação.


Autoria: JuniorPoltergeist

3 comentários:

Ingrid disse...

a pior dor é a que sentimos no momento..
a do sentimento e da alma são as piores..
abraço.

Ulisses Reis ® disse...

Muito forte e belo , tenha um domingo feliz, beijos !!

JuniorPoltergeist disse...

Obg, o mesmo desejo a vocês