sexta-feira, 7 de outubro de 2011

PRISIONEIRA DE MIM

Meu terapeuta me disse que quando apareci em seu consultório há três anos atrás, nunca imaginou que eu pudesse evoluir tão rápido. Lembro-me daquele dia: uns 12 quilos a menos (hoje peso 60 kg),  roupa preta, olhar sem vida, meu único sentimento era o medo e mais nada.
Fui nesse período me abrindo pro mundo, deixando a pessoa encarcerada dentro de mim mesma se libertar. Na verdade, eu mesma era prisioneira de mim. Desde menina, hoje olhando as fotos, se via uma tristeza oculta, inconscientemente meus pais me faziam acreditar que era responsável por tudo: "Ela é uma mocinha aos seis anos de idade!, Nossa filha é uma aluna exemplar!, Tome conta da sua irmã caçula!".  Acreditei que a culpa por algo não ter dado certo era sempre minha.
Cheguei ao consultório sentindo o peso do mundo sobre mim. A culpa: pela morte do meu pai (ele enfartou!), pela difícil relação com a minha mãe (ela tem distemia!), pela profissão que não me rendia o que eu "achava que por tamanha inteligência" merecia (sou inteligente, mas não um gênio!), pelos relacionamentos que não davam certo (eu exigia demais de mim!), entre outras coisas. 
Tinha convicção que não tinha dado certo e que a única responsável por isso era eu! E de certa forma tinha razão, porque acreditei que seria eu a cuidadora da família após a morte do papai, que era mesmo um fracasso de profissional, apesar de como professora ter experimentado todos os níveis de ensino, até em faculdade cheguei a dar aulas, que eu não era hábil para lidar com namoro. Desse jeito, adoeci.
Hoje, depois desses anos de terapia, descobri que meu pai faleceu em função do desgaste em seu organismo, que mamãe é minha mãe, mas isso não quer dizer que tenhamos afinidade, potanto evito embates e não me responsabilizo mais por suas ações, ainda tenho sobrecarga quanto às soluções dos problemas familiares, mas venho tentando dividi-los paulatinamente com minha irmã, no trabalho sou uma boa profissional por isso exijo respeito, estou namorando, ele é um cara muito legal, pela primeira vez estou amando, mas não me desespero se disse ou fiz algo que possivelmente ele não gostou, afinal ele também às vezes diz ou faz coisas que  não me agradam, sou segura o suficiente para saber que esses entraves fazem parte da relação.
Estou em liberdade condicional, após anos na prisão. Fui prisioneira das ideias imutáveis, das certezas eternas, da culpa, do medo, da cobrança exagerada, da perfeição, da mordaça que calava minha voz e me impedia até de escrever meus versos.
Uma coisa descobri: eu mesma tinha a chave da minha cela. Tive coragem de abrir a fechadura e me conhecer de fato. Confesso que gosto mais de mim agora.



8 comentários:

Ivone Poemas disse...

Olá Rosimar! Que prazer ler aqui esse texto libertador!
Que prazer poder te dizer que aos poucos vais percebendo que és um ser que só precisa de você e mais ninguém e assim, livre é que podes fazer o bem, a si e a todos que convivem contigo!
Abraços e beijos em seu coração e fico demais feliz por ti!!!
Ivone

Ivone Poemas disse...

Rosivar, eu de novo, linda essa música e letra! Adoro!
Comecei muito bem o meu dia!
Abraços e feliz final de semana!
Ivone

Simone MartinS2 disse...

Bom diaaaa....menina amei teu texto, é seu? Posso posta-lo em meu blog., nesse final de semana? Me vi totalmente ali, a unica diferença, e que na profissão me encontrei muito cedo e nunca sofri, mas de resto, Ufa!! Lindo, bjin

Rosivar Marra Leite disse...

Obrigada meninas!
Minha escrita traduz a minha vida.
Simone, com certeza pode postá-lo em seu blog. Será uma honra!
Bjao no coraçao d vcs!

cidinha disse...

Olá amiga Rosivar. Belo texto e por sinal real, posso dizer que tem um pouco de mim. Quanto as cobranças e responsabilidade em familia. Sem tempo para viver a vida e o amor. È descrito com muita emoção! Lindo vídeo! Bela escolha! Bjos.

Maria Alice Cerqueira disse...

Bom dia Amiga
Hoje vim só para lhe agradecer
Com um simples dizer
Muito obrigado pelo seu carinho
Lá no meu cantinho.
Muito obrigada pela terna alegria
Que me traz a cada dia
Com a presença de sua luz
Você me conduz
Ao encontro do segredo de tudo saber
Que está dentro do meu ser.
Obrigada por me ajudar
A ver e a sentir a realidade
Que me ajudará a caminhar
Ao encontro da minha felicidade.
Querida amiga
Nesta cantiga
Quero apenas reforçar a minha gratidão
Obrigada por me estender a sua mão.
Obrigada por me falar
Com o sentimento de seu coração,
E por me mostrar
O valor de ser amigo
Que contigo
Veremos o bem se fortalecer
E o mau enfraquecer.
E assim a amizade será de verdade
Para toda a eternidade!
Tenha um bom fim de semana
Abraço amigo
Maria Alice

Jasanf disse...

Texto repleto de autocontrole e autoconhecimento. Requer maturidade para lê-lo a fim de alcançar a sabedoria nele inserida.
Bjs,
Jasanf.

Sonia Guzzi disse...

vivendo a prisao da dor e escolhendo a liberdade das novas escolhas.
Parabéns pela coragem.
Gde abraço, em divina amizade.
Sonia Guzzi