segunda-feira, 4 de julho de 2011

Figuras de linguagem

Um objeto, uma pessoa, um ser
Tudo é necessário!
Independência é uma metáfora,
Assim como liberdade.


Que paradoxo é
O branco negro da guerra.
Quanta ironia é a vida!
Sentir-se só quando acompanhado
Já virou rotina.


Seres infelizes e incríveis.
Oh saudade! Como és bela!
Tristeza está aqui.


Mas o que se quer
É a hipérbole amor,
Encantadora das antíteses,
Que são as chamas da ilusão.

11 comentários:

JuniorPoltergeist disse...

Que lindo *-* sentir-se só quando acompanhado =/

Tânia Camargo disse...

Amor... Doce chama almejada, mas nem sempre encontrada!

Linda poesia. Parabéns!

Jasanf disse...

Aline, quanto estilismo há neste poema cuja finalidade é transpassar a alegoria de figuras de linguagens presente na função emotiva da linguagem.

Ma Ferreira disse...

Aline..lindo seu poema..encantador.. te admiro!
bj

Ma

Reflexo d'Alma disse...

Eis uma verdade que aprendi cedo:
"Sentir-se só quando acompanhado
Já virou rotina."

Lindo texto para essa maravilhosa
segunda feira.
Bjins entre sonhos e delírios

Catia Bosso disse...

Meio triste, porem doce e leve,um rogo, um além-matéria, uma fé censurada, um oásis de Deus!!! Gostei Al....

bjs meus!

Simone MartinS2 disse...

Boa noite...e que são as chams da ilusão...é o amor tambem são essas chamas da ilusão, e como nos iludimos facil nao? Bjin...belo e suave

Poeta Insano disse...

Olá Aline!

Perfeito, em poesia, em gramática,
em versos e em significado.
É uma análise profunda dos sentimentos que temos, mesmo que as vezes, em contramão aos que gostaríamos de ter.

Um abraço!

Van disse...

O amor é a busca de todo ser.

Lindo poema, Aline!

Edu Lazaro disse...

Nunca um momento sequer de paz enquanto não houver dentro o que o amor primeiro traz em movimento...

Tatiana disse...

Simplesmente lindo, fantástico, poético!!!!!!!!!!!!!!!