sábado, 30 de julho de 2011

Soneto para Carolina

Tens a pele da minha pele;
Tens os desejos dos meus desejos;
Sabes dos teus receios;
Sabes do meu peito imbele

És para mim a "máquina celeste";
És o veneno do meu veneno;
És o amor que não se mede;
És a moça de olhos amenos.

Tuas figuras me encantam
Somos destinados a vida toda,
Assim como os versos que se completam.

Sabes aquela montanha menina?
É lá que espero me deitar
E olhar teus olhos, Carolina.



Gabriel Castelar


http://gabrielcastelar.blogspot.com/

4 comentários:

Simone MartinS2 disse...

Boa note, e que felizarda essa Carolina, belo poema que encanta e demonstra a admiração por ela...Abraços!

Artes e escritas disse...

Lindos versos à Carolina, felicidades. Um abraço, Yayá.

Catia Bosso disse...

Gabriel, fazia tempo que eu não lia um soneto tão belo... parabéns!

bjsss meusss

Catita

Gabriel Castelar disse...

Obrigado a todos. Fico muito contente que gostem do meu trabalho.

Beijos