sexta-feira, 5 de agosto de 2011

A COISA CERTA E DIFÍCIL

Hoje decidi fazer a coisa certa
Porém foi tão difícil fazê-la
Na minha vida nada é como deveria
Talvez seja carma
Castigo de viver sozinha
Sentindo o peso do mundo
Encarando o escuro do caminho
Abrir mão de algo tão doce
Foi pra mim grande desespero
A coisa certa
Porém difícil demais fazê-la
Uma calma quase doentia
Anuncia um período triste
Meus olhos cansados
Minha boca seca
Minha alma vazia
Fiz a coisa certa
Essa é a minha única
E dolorosa certeza...

3 comentários:

Nina Pilar disse...

deixando um beijo e uma belíssima sexta feira.
é quando intenção e gesto encontram-se e nós nos damos conta desta insensata dor, mais que medo, os sentidos antecipa a dor ...a dor é uma senhora que nômade peregrina em nossos espaços sombrios como a própria dor da angustia de não poder ser feliz, asfixiante como a dor de ver e não poder tocar...

quando escreves desnudas as emoções...
tenha uma linda madrugada querida e uma sexta fantástica e que a sede de sermos feliz nós alcance antes que raia o dia...
beijinhos amiga

Rosivar Marra Leite disse...

Nina,

Encata-me como vc captou exatamente a essencia do meu poema.
"Os sentidos antecipam a dor"...
Obrigada e uma bela sexta pra vc tb.
Bjim

Jasanf disse...

Lindo seu poema, Rosevar! Bem delicado no emprego das palavras.