sexta-feira, 10 de junho de 2011

Decepções no Amor!

No começo comecei a me sentir estranho, comecei a mudar meu comportamento quando te via, me sentia tímido, nervoso de um jeito que nunca me sentir antes, você mexia comigo eu não sabia o que dizer, nem o fazer, eu me sentia um idiota e você fazia questão em me ver assim, você fez-me apaixonar-se por você, você disse que sempre iria me amar mais acabou me iludindo.

Nessa  decepção, eu me separei de mim, me pus em uma caixinha qualquer, e me guardei, guardei em um lugar onde ninguém possa achar, guardei com medo de sofrer novamente, passei vários tempos sem abrir aquela caixa, passei vários tempos sem me procurar novamente, continuei tímido, amedrontado com aquela imagem criada pelo amor.

Chegou um tempo em que aquela caixa foi me chamando atenção, foi mexendo psicologicamente comigo, eu tentei evitar, e estava conseguindo, até que vi seu sorriso, o brilho dos seus olhos me chamou atenção, e foi reproduzindo a imagem da aquela caixa em teu olhar, algo queria me dizer algo. Eu me sentir novamente idiota, me sentia nervoso ao te ver, e percebi o que estava acontecendo, e fiquei com medo, tentei me afastar de você, mais quanto mais eu tentava eu menos conseguia, você com seu jeito humilde, com aquele brilho nos olhos me encantou, foi quando não suportei mais, você me pediu e eu entreguei a caixa a você, me entreguei por completo, me tornei seu, e então você me entregou outra caixinha, e foi ai que percebi que essas decepções não aconteciam só comigo, e foi ai então que você me abraçou agradecendo a confiança, eu te abracei sem querer te largar.

Descobrimos que o amor machuca, mais machuca quando você não tem a pessoa certa ao seu lado, e depois que encontramos e que temos a certeza que o amor não é todo esse sofrimento que a gente pensava, e temos certeza que essa é à verdadeira pessoa, entregamos nossas caixinhas, nos entregamos por completo novamente, desconfiados, ainda amedrontados mais ao mesmo tempo confiantes, por que podemos tentar mais sabendo que é inevitável guarda essa caixa para sempre.


Autoria: JuniorPoltergeist.

6 comentários:

Ma Ferreira disse...

Ah..Junior..bacana a sua cronica.
É sempre hora de recomeçar. E para que esse recomeçar de certo..esqueça o que jassou, é passado. serviu como aprendizado..
Hj é vida nova! Bola pra frente..aproveite e seja feliz!
Bj
Ma

Jasanf disse...

O amor quando não é correspondido machuca mesmo, dói horrores e até esquecer dói e muito. O pior é virar a página, pois isso leva tempo. Lindo seu texto!

Débora Andrade disse...

Nossa, como me identifiquei com a tua postagem, Junior. Estou me levantando depois de uma queda feia. Decepções sempre nos puxam o tapete e nos fazem levar uma queda feia, mas quando é alguém a quem somos realmente ligados, a quem realmente amamos, dói infinitamente mais.
Aos que encontram um novo amor, meu sincero desejo de que o mesmo progrida e se intensifique mais a cada dia, se é o seu caso, vai em frente, rapaz. Seja feliz!
No meu caso, um dia a ferida sara, a dor cessa e o amor renasce.

Beijos,
Débora.

Catia Bosso disse...

O amor sempre machucando para construir... assim fica mais saboroso né!

Lindinho meu!!!! Adorei seu texto...

bj da tia

Catita

Reflexo d'Alma disse...

Querido poeta, o amor machuca sempre.
Se for bom , correspondido machuca por acaba impingindo um
tipo de anulação que leva ao aprendizado.
Quando o amor não é correspondido na verdade acaba por nos corromper, porque é uma ilusão achar que se ama sozinho ou que se ama por dois.
A verdade que amando vamos sempre pra essa caixinha que tão bem voce cita em seu lindo e dolorido texto.
Sinto como se fosse meu
seu texto,
porque me faz
re
fle
tir.
Bjins entre sonhos e delírios

JuniorPoltergeist disse...

Onw Obrigado a todos *-*
Belas palavras.