quarta-feira, 15 de junho de 2011

Intempérie na Espécie












Pétala de rosa se aflora
Luto de aurora
Forte lança de alvor
Boca louca de calor



Sublime ar a 'embrisar'
Alcova dúbia de cascata
Fica cego em reprisar
Fibra ótica em desvelo que mata




Ócio ausente num Deus que define
Sente astúcia que reprime e laça
Envolver a prática é dom de se ter
Mágoa recuada se oprime
Doses de um carinho que se faça
Dicas de um Eu em se conter



Império de um mundo sem adeus...
Dores de um estado santo junto aos seus...
Feito crimes sem culpados e rezas sem ateus...









Catia Bosso

7 comentários:

Ma Ferreira disse...

Poetiza Catia Bosso,,, os meus orinais para bens rsr
Nao da para ser diferente. A cada poema seu, o meu encanto.
Um bj.. tenha um lindo dia!
Ma

Alê disse...

Vc é doce menina, até nos adeus

SOL da Esteva disse...

Cátia

"Império de um mundo sem adeus...
Dores de um estado santo junto aos seus...
Feito crimes sem culpados e rezas sem ateus..."

Que novas tempestades nos podem afectar?
Belo

SOL
http://acordarsonhando.blogspot.com/

Severa Cabral(escritora) disse...

Abro sempre essa janela só para me encantar...e vc sabe...amo...amo...amo tudo que leio aqui...
Bjsssssssssssss

JuniorPoltergeist disse...

Tia Tia Tia *-----* Ownt tia sempre que venho aqui, pra ler essas postagens, sempre me emocionando. Como seria um mundo sem um Adeus? Adeus faz parte da vida, mais espero que eu e nem ngm daki tenha que dizer Adeus um aos outros, e que seja eterno enquanto dure, essas emoções através de palavras. Bjs Bjs tia Catia *-*
JuniorP.

Jasanf disse...

Catia, adoro seu transnudar de palavras e o formato que você dá vida a um eu-lírico condizente com o mundo exterior, mas que clama por ardor interior: pois necessita dizer adeus, virar a página da angústia e prosseguir.

Nel Santos disse...

Oi, Cátia!

Gosto muito do que escreves! Belos poemas originados de uma bela alma. Você é um amor!

Beijos!