sábado, 18 de junho de 2011

Soneto para Rafaella

Como podes ser? Apenas ser.
Tua existência resplandece nos olhos noturnos
que só podem ser vistos por quem pode ver
nos sentido único que restringe o mundo.

Das tuas belezas, como podes ser?
Se sou? Não sei. Mas, tu és
uma completa simetria de Ser,
de silêncio e palavras que crês.

Não cabem reflexões  amplas
do que não se analisa com frases,
mas que se vê, Ser de alarde.

E digo, as flores não são belas
Nem rosa, nem lírio, só há um tipo
Como podes ser? Rafaella.



Gabriel Castelar  


http://gabrielcastelar.blogspot.com  ou http://labeirgsalcatre.blogspot.com/

5 comentários:

Débora Andrade disse...

Como é bom receber um soneto, eu fico maravilhada com esses tipos de homenagem. Ficou lindo, Gabriel.

Abraço,
Débora.

Ma Ferreira disse...

Gabriel... Lindo seu soneto.
A Rafaela deve estar radiante por merecer tal homenagem.

Um bj

MA Ferreira

Anônimo disse...

Somente olhos de poeta podem ver tamanha beleza
E somente caneta de poeta pode transcrevê-la em versos...
Adorei!
Rosivar

Jasanf disse...

Adorei poeta a performance.

Poeta Insano disse...

Perfeito!
Bela homenagem, cheia de adjetivos
bem direcionados.

Um abraço!