sexta-feira, 17 de junho de 2011

Tributo ao Tamarindo

Acético, cítrico, tartárico,
forma agridoce de se lambuzar em ácido
geram devaneios loucos
ao tocar os lábios.
Teu azedume paira uma substância
análoga à própria ânsia
Tuas flores hermafroditas amarelas
ou levemente avermelhadas
se reúnem em pequenos cachos axilares.
Ao degustá-lo
o paladar se permuta,
se transforma e se mistura à língua
num puro deleite, gozo, desejo excêntrico e mórbido.
Desmedido vestígio de toques,
polpa afrodisíaca do pecado
cujo coito inebriado e embevecido
copulam e bolinam entre si.
Málico, hiperbóreo, fitoterápico,
sente-se ao beijá-lo.
Irradia corações com proteínas e aminoácidos.
Saboroso fruto diabólico do prazer,
êxtase supremo dos anjos,
estimulante semiótico
que enfeitiça-nos com um simples contato
boca a tamarindo.
Puro bel-prazer semântico!
Ósculo santo!
Frenesi imprescindível!
Oh! Tamarindus de nossa pátria gentil!
Enlaça-nos com teu sabor,
perpetua-nos com tua acidez inexorável,
exaure-nos com tua magnificência,
enleva-nos com as delícias paradisíacas,
incita-nos com teu forte teor de glicídios
e nos faça um só elemento humano-mineral.
Sacramenta-se, enfim, o verdadeiro processo de transubstanciação.


                                                                                                                                                    Jasanf

6 comentários:

Paulo Francisco disse...

Deu água na boca! rs rs rs
Muito bommmmmmmm!

JuniorPoltergeist disse...

O Azedinho mais Gostoso *-* Muito bom kkk

Por que você faz poema? disse...

Os festejos juninos me esperam
com um saboroso licor.

Anônimo disse...

Descreveu em palavras a sensação de comer a fruta.
Sei que esse tamarindo foi comido em Itaocara, você contou-me essa história!
Bjim amigo e, parabéns pelo texto.

Rosivar

Ma Ferreira disse...

Jasanf..não sei como deixei passar este seu post sem comentar.

Adorei!!
Cheguei a ficar aarrepiada só de imaginar o fruto do tamarino.

Quando eu morava no interior eu tinha um pé desta fruta em casa.
Nossa..só de pensar eu salivo.

Faziamos suco de tamarino..tamarino de todas as formas...

Vc escreveu lindamente..parabéns !!

Bj

Ma

Artes e escritas disse...

O seu poema me lembrou tamarindos em calda, uma delícia amazônica. Um abraço, Yayá.